Voltar

Foto: divulgação

Bancário receberá indenização após ser excluído de homenagem

Um bancário e dirigente sindical que não foi convidado para uma homenagem prestada pelo Itaú Unibanco S.A aos seus colaboradores que completaram 30 anos de contrato de trabalho receberá indenização por danos morais e patrimoniais.

O bancário, por intermédio da assessoria jurídica da Advocacia Scalassara, alegou em ação trabalhista que, apesar de ter completado 30 anos de vínculo empregatício em março de 2010, não havia recebido a homenagem usualmente prestada pela empresa, configurando nítida discriminação, sobretudo pelo fato de ser dirigente sindical e por possuir ação judicial contra o banco. Relatou, ainda, que referida discriminação também ocorreu com outros empregados do banco na mesma situação. 

A homenagem se trata de um evento realizado na cidade de São Paulo, para os empregados que completaram 30 anos no banco, onde os homenageados receberam premiações como ações do banco (no valor de três salários do empregado), um relógio de ouro Mido Gold, champanhe, taças de cristais, ingressos para um musical, além de estadia em um hotel cinco estrelas, com direito a acompanhante e as despesas com transporte, tudo pago pelo Itaú Unibanco S/A.

O Juiz da 3ª Vara do Trabalho de Londrina reconheceu a discriminação ocorrida com o empregado e determinou que fossem pagos os valores correspondentes às premiações que o mesmo deveria ter recebido, além de uma indenização por danos morais no valor de 10 mil reais, totalizando um valor de aproximadamente 35 mil reais.

   Outras Publicações de Marco Aurélio S. Gonçalves